Por que o planejamento de campanhas pré-eleitorais é importante?

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

As eleições estão se aproximando. Em 2020 ocorrerão votações no Brasil para eleger futuros prefeitos e vereadores. Anos eleitorais caracterizam-se por intensas campanhas no afã de destacar os requisitos principais de cada candidato. O horário eleitoral e os debates não conseguem contemplar todas as atribuições de um candidato, tampouco dimensionar a eloquência de suas campanhas, se for o caso.

Com a recente reforma política, datada de 2015, a chamada pré-campanha eleitoral foi permitida. Mas, afinal, o que seria a pré-campanha eleitoral? Corresponde a ações de divulgação e estratégias concernentes à campanha do futuro candidato, tudo anterior à campanha propriamente dita. Corresponde ao período entre maio e agosto dos anos eleitorais, ou seja, são três meses para uma divulgação com uma gestão eleitoral efetiva.

A importância da pré-campanha

Como dito anteriormente, o tempo da campanha em si é bastante corrido. Uma pré-campanha assertiva, portanto, é uma estratégia eficaz para dar credibilidade e visibilidade ao futuro candidato em questão. Visibilidade é imprescindível em uma campanha eleitoral, o eleitor não votará em quem não conhece e o tempo da campanha pode ser efêmero para pretensões de votos.

Durante a campanha eleitoral em si, o tempo de tela e de debate é dividido de forma equiparada, logo a pré-campanha permite chegar ao eleitor em potencial de forma antecedente. A importância da pré-campanha é vital, pois ela assegura um planejamento melhor, tornando a comunicação entre o eleitor e o candidato mais estrita, assim como também propiciando um maior engajamento por parte da população.

Imprescindível, também, é uma gestão eleitoral contundente. De nada adianta o tempo maior para divulgar as propostas e enaltecer a qualidade do futuro candidato, se as estratégias utilizadas não forem coerentes e assertivas. É preciso contar com auxílio de uma equipe de marketing que compreenda o quão espinhosa pode ser uma pré-campanha, mas que saiba utilizar a publicidade de forma sóbria e certeira.

O que é permitido na pré-campanha?

É permitido fazer menção à candidatura, ou seja, os futuros candidatos podem revelar que concorrerão a cargos políticos nas eleições que se aproximam. Os futuros candidatos também podem participar de programas de rádio, de televisão e de internet, argumentando acerca das perspectivas políticas de suas plataformas.

É também permitido exaltar as qualidades do pré-candidato, não configurando nenhuma proibição quanto a isso. Os pré-candidatos também podem dimensionar suas concepções acerca de temas polêmicos e de cunho social.

O que é proibido durante a pré-campanha?

Quando os candidatos revelarem que concorrerão a cargos políticos, jamais poderão pedir votos, direta ou indiretamente. Propaganda antecipada é vedada no panorama da pré-campanha eleitoral. Compra de votos também é algo ilegal no que tange a pré-campanha.
Participar de programas de rádio, televisão e internet são permitidos, conforme vimos anteriormente, contudo, desde que não haja dinheiro envolvido. Nenhum candidato, no período da pré-campanha, pode pagar para a divulgação de sua futura candidatura. Também não é permitido divulgar materiais da campanha que está por vir.

Acesse nossa página
Acesse nossa página, por meio do endereço (https://www.elegis.com.br/) e confira nosso serviço. Trabalhamos com gestão eleitoral, assegurando a força e coerência de campanhas eleitorais e pré-eleitorais, sempre primando pela excelência. Acesse nosso conteúdo e entre em contato.

Comments

comments

Mais conteúdo