Qual a importância e como fazer um bom marketing eleitoral?

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Ao longo dos últimos anos, o marketing político tem se provado cada vez mais influente no processo de decisão do eleitor. No entanto, dentro dos preceitos do marketing, existe uma estratégia ainda mais direta para uma campanha bem-sucedida: é o chamado marketing eleitoral. E se você acha que estamos falando da mesma coisa, você está muito enganado.

As duas estratégias obviamente possuem muitas semelhanças. No entanto, enquanto o marketing político trabalha a imagem do indivíduo e a divulgação de suas ações (ou seja, com ele já eleito), o marketing eleitoral tem uma estratégia mais simples e imediata: fazer com que o candidato atinja o seu público-alvo e, de forma efetiva, vença as eleições.

O que é marketing eleitoral?

É um conjunto de técnicas de marketing que tem como objetivo atrair um determinado público-alvo com ações que se alinhem às suas expectativas e, desta maneira, converta-os em eleitores.

Como supracitado, o marketing eleitoral tem um efeito de curto prazo, afinal, ele é voltado especialmente para as eleições, de forma que o político se destaque em meio aos outros candidatos.

Como fazer um bom marketing eleitoral?

Fazer um bom marketing eleitoral exige um planejamento estratégico bem elaborado, afinal, são muitas ações a serem desenvolvidas em conjunto num curto espaço de tempo. Porém, de uma forma geral, listamos alguns pontos cruciais para o desenvolvimento de um bom marketing eleitoral:

Segmentação do público

Um dos mitos já rompidos no marketing moderno é a de que uma campanha só é efetiva quando atinge todos os tipos de públicos. No marketing eleitoral, a lógica é semelhante.

É claro que trabalhar com um público grande amplia a possibilidade de votos. Entretanto, se não há uma mínima segmentação do perfil de eleitor que mais se identifica com suas propostas, as ações podem tomar o efeito contrário e arranhar sua imagem.

Para isso, você precisará de uma boa ferramenta de gestão eleitoral. Esse software tem como grande finalidade a criação de um banco de dados de eleitores, onde é possível utilizar tais dados para trabalhar uma segmentação personalizada. Clique aqui para conhecer o nosso sistema de gestão.

Pesquisas eleitorais

O marketing eleitoral também trabalha com a aplicação de pesquisas. Dados demográficos, socioeconômicos e hábitos de comportamento, por exemplo, podem ser insights valiosos para abastecer o seu banco de dados. Assim, é possível criar uma estratégia mais assertiva na hora de se comunicar com o seu público-alvo.

Presença online

Seu potencial eleitor está na Internet, portanto, é indispensável que você esteja nas redes sociais certas (identificação nas pesquisas) para interagir e tirar dúvidas. Também é fundamental ter um website e um blog que ofereça um conteúdo relevante e otimizado, que esteja nas primeiras páginas do Google.

Comunicação personalizada

Aqui, destaca-se principalmente o uso do e-mail marketing e do envio de SMS, com resultados facilmente mensuráveis através de um sistema de gestão eleitoral. Porém, lembre-se: envie apenas conteúdo relevante e não use listas compradas de números ou e-mails.

Entendeu como fazer um bom marketing eleitoral e a importância dele? Se gostou do artigo ou possui alguma dúvida sobre o tema, deixe o seu comentário abaixo!

Comments

comments

Mais conteúdo